BORAnaOBRA

AR CONDICIONADO

AR CONDICIONADO
RECEBA NOSSO MELHOR CONTEÚDO EM PRIMEIRA MÃO

Faça parte da Comunidade de Profissionais da Construção Civil que mais cresce nesse país!

Evite erros de projeto e instalação de ar condicionado, conheça os diferentes tipos e quando usar cada um, descubra como dimensionar e muito mais!

Existem alguns cuidados com relação ao ar condicionado aos quais engenheiros, arquitetos e construtores precisam estar atentos. A maioria dos ar condicionados utilizados hoje em dia são do tipo split, mas este não é o único tipo disponível. Temos os de janela, cassete, piso teto e outros. Com tantas opções, é fundamental saber escolher o melhor tipo para usar em cada caso.

Depois de escolher, é preciso dimensionar, ou seja, definir de quantos BTUs será o aparelho e ter muita atenção quanto à estrutura necessária para a instalação (energia, dreno e cobre) para que ele funcione do jeito certo.

Você sabia que dá para disfarçar a evaporadora na decoração? E que se a condensadora for colocada numa varanda ela pode precisar de uma caixa feita especialmente para ela (a clausura)? E o ar condicionado quente-frio, quando ele é recomendado?

Prepare-se porque neste artigo vamos te explicar TUDO sobre ar condicionado!

Tipos de ar condicionados

Vamos começar pelo ar condicionado de janela, ou de parede, como também é conhecido. Esse modelo de ar condicionado vem sendo cada vez menos utilizado nas casas e prédios brasileiros, mas, por outro lado, ainda é muito popular por conta do seu preço mais acessível.

Nesse modelo, o ar condicionado tem uma estrutura única em que uma parte fica dentro do ambiente e outra fica voltada para a área externa. Sua instalação é bem simples e não precisa de um técnico especializado.

Em termos de estrutura, precisamos de um buraco na parede e um suporte (que muitas vezes pode ser de concreto ou metálico). Além disso, é importante prever um ponto de energia próximo ao local de instalação para que ele possa ser ligado. Essa tomada precisa ser de uso específico (TUE) – não pode ser uma tomada comum. Também é necessário um disjuntor exclusivo só para o ar condicionado no quadro de energia. Esses cuidados são necessários porque o ar é um equipamento que demanda bastante energia da casa e se não for feito dessa forma, além de haver um risco de curto-circuito, pode acontecer também da energia ficar oscilando enquanto o ar estiver ligado.

Outra preocupação que você precisa ter é em vedar os lados do ar condicionado durante a instalação – ou manter esse “buraco fechado” se o cliente não for instalar o aparelho agora.

No ar de janela, a evaporadora e a condensadora estão integradas, por isso ele faz um pouco de barulho durante o uso – é importante você explicar isso para o cliente, pois é um fator que interfere no conforto dele!

O modelo de ar condicionado split, tem esse nome porque a evaporadora e a condensadora são separadas. A evaporadora é a parte que é instalada internamente no ambiente, e a condensadora é a parte instalada externamente.

A infraestrutura desse modelo requer bem mais atenção que a do ar de janela. Você precisa prestar atenção a três fatores: a energia, o dreno e o cobre.

1. Energia – assim como o ar condicionado de janela, o ar condicionado split também precisa de um ponto de energia específico, com um disjuntor específico. Sempre preveja e dimensione os quadros elétricos considerando equipamentos como esse! 

Em caso de reformas, verifique se já existe essa previsão na rede elétrica ou solicite aumento de carga junto à concessionária de energia, se for o caso. É nossa responsabilidade como profissionais orientar nossos clientes para que não haja sobrecarga de energia. Se você não tem conhecimento suficiente no assunto, chame um parceiro para te ajudar com o projeto e com o dimensionamento, mas não indique gambiarra para o seu cliente! Já imaginou se acontece um curto-circuito? Você não quer ser o responsável, certo? É nosso dever trabalhar com profissionalismo e responsabilidade.

Ainda sobre a energia, esteja atento ao fato de que existem alguns aparelhos de ar condicionado split em que a ligação de energia acontece dentro do ambiente e outros em ela acontece do lado de fora. Saber qual modelo vai ser instalado ajuda nessa previsão de infraestrutura.

2. Dreno

O dreno é super importante para escoar a água gerada pelo ar condicionado durante o processo de resfriamento do ambiente. Você precisa evitar aquele pinga-pinga do lado de fora, evitar de molhar a parede internamente ou mesmo formar gotículas de água pingando dentro do ambiente. 

Sempre que for realizar uma obra nova, já preveja o local onde esse dreno irá se conectar com a encanação. Em geral, muitas esperas para ar condicionado ficam em paredes de banheiro, áreas molhadas no geral, para que o dreno chegue com mais facilidade até o ralo, por exemplo. Lembre-se também de evitar curvas e de garantir um bom caimento.

3. Cobre

O cobre é o duto por onde vai passar todo o gás entre a evaporadora e a condensadora para, de fato, resfriar o ambiente. Essa tubulação tem uma bitola específica para cada potência do ar condicionado e por isso é bem importante já fazer o cálculo de quantos BTUs precisa em cada espaço para já deixar a previsão certa. Ainda neste artigo te ensinaremos a fazer esse cálculo.

Ocorre que se o duto de cobre for dimensionado para uma capacidade de 12.000 BTUs e o cliente decidir colocar um aparelho de 18.000 BTUs, por exemplo, esse aparelho não irá funcionar adequadamente porque no duto só há capacidade para os 12.000 BTUs. O cliente terá comprado um aparelho mais caro, mas, na verdade, terá eficiência equivalente ao mais barato. Os clientes não verão essa tubulação e não irão se atentar a isso, porém eles confiam em você. Portanto, fique atento e faça o que é certo!

E aqui vai uma curiosidade sobre as condensadoras. Você já reparou que existem dois modelos de condensadora: uma retangular e outra circular? Você sabe para que serve cada uma? 

O modelo retangular joga o ar quente retirado do ambiente para a frente do equipamento. O ideal, nesse caso, é que não haja nenhum muro na frente, pois senão, o ar quente bate no muro e volta, prejudicando a eficiência do ar condicionado. Esse modelo é indicado para paredes que têm beiral, por exemplo.

Já o modelo circular joga o ar quente que sai de dentro da casa para cima. Nesse caso, essa condensadora não pode ficar embaixo de um beiral, se não o ar quente bate e volta também.

Você sabia disso? Anota aí para explicar para o seu cliente na hora da compra!

Os ar condicionados splits podem ser classificados em convencionais ou inverters. A diferença está na forma que o compressor do ar condicionado funciona. No convencional, o compressor liga e desliga muito rápido, consumindo mais energia de uma só vez. Já com a tecnologia inverter, esse “liga-desliga” é feito de forma mais suave. Além disso, após alcançar a temperatura desejada, o compressor se mantém ligado em menor frequência e aumenta somente se necessário. Consequentemente, a quantidade de energia necessária para alcançar e manter a temperatura é menor. Isso faz a conta de energia venha mais barata, apesar do aporte inicial na compra com a tecnologia inverter ser mais alto que o do split convencional.

Outro fator no qual devemos prestar atenção no caso de um aparelho de ar condicionado tipo split, é no local de instalação da evaporadora e da condensadora.

Onde instalar a evaporadora?

A evaporadora é a parte do aparelho que é instalada dentro de casa e é muito importante ver bem onde ela será colocada para que a decoração não fique feia e para que o uso não cause nenhum incômodo nem estrague nada.

Na sala, a evaporadora pode ser instalada em cima do sofá, em cima da TV ou próxima da mesa da cozinha. Evite colocar em cima da janela para não ter que usar uma cortina menor, que não vá até o teto. Se não tiver outro jeito e você precisar colocar a evaporadora em cima da janela, aí o melhor é usar persiana ao invés de cortina. Cortina que não vai até o teto ou que termina logo abaixo da janela, sem chegar ao chão, torna a decoração feia.

Também deve-se ter cuidado com a direção do ar para que a corrente de ar não vá em cima das pessoas porque isso pode se tornar bastante desconfortável. Tenha atenção especial quanto a isso nos quartos para que não fique na direção da cama ou ainda na direção do berço, se for o quarto de um bebê. Para resolver isso, a evaporadora pode ser colocada numa parede lateral ou até ser deslocada um pouco para um dos lados da parede.

Locais em cima de aparelhos eletrônicos também devem ser evitados porque pode ser que o aparelho comece a pingar, caso o dreno entupa (o que é bem normal de acontecer). Além disso, ela precisa ficar a pelo menos 1m de distância dos outros eletrônicos para não dar interferência no sinal do controle remoto (não deixe de verificar essa distância no manual do aparelho). Também é bom evitar paredes que tenham papel de parede colado porque pode estragar se ficar pingando.

Uma opção que ainda é menos usada, mas que pode ficar muito bonita é colocar a evaporadora dentro de móveis que a mimetizam, que a disfarçam. Mas é preciso ter alguns cuidados para que o aparelho funcione direitinho. 

Nesse caso, existem algumas distâncias que devem ser respeitadas para que o ar possa circular próximo à evaporadora. Dos lados geralmente deve haver entre 5cm a 20cm de distância do móvel, na parte de cima cerca de 15cm e na parte de baixo costuma ser por volta de 25cm. Mas veja direitinho sobre essas distâncias no manual de cada fabricante porque elas podem mudar um pouco, aqui falamos do que é mais comum de se ver.

Esse móvel pode ser feito de marcenaria vazada, por exemplo, ou então o aparelho pode ficar dentro de algum nicho e funcionar como um dos objetos de decoração. Outra opção é fazer móveis que possam ser abertos enquanto o ar condicionado estiver ligado e depois a pessoa fecha quando não estiver usando. Também é possível compor a decoração com quadros e móveis como um aparador, por exemplo, de forma que o ar condicionado faça parte dessa decoração. 

Também podemos pintar o ar condicionado para que ele fique da cor da parede ou escolher um modelo que já seja da cor da parede onde será instalado. 

Mas cuidado: a parte do infravermelho não pode ser pintada senão o controle do ar não vai funcionar direito. E também pode ser que o aparelho perca a garantia ao ser pintado, então o cliente precisa ser avisado disso porque ele pode achar que não vale a pena, ainda mais porque a garantia desses modelos split costuma ser de bastante tempo.

Onde instalar a condensadora?

Vamos agora falar da condensadora, que é a parte que fica do lado de fora. A condensadora deve ficar numa parte externa ventilada. Ela pode ser instalada numa platibanda, na laje técnica, no terraço, no telhado, na alvenaria da caixa d’água, no chão ou na fachada – se muitas condensadoras forem instaladas na fachada pode ficar feito, cuidado! Considere como será feita a manutenção e para escolher qual a melhor opção em cada caso.

Se o dreno não estiver instalado e você não for instalá-lo, verifique onde a água ficará pingando para que não estrague a fachada ou fique fazendo barulho para não incomodar o seu cliente nem os vizinhos dele.

Aliás, um parênteses aqui. Se a construção for num condomínio, seja residencial ou comercial, as normas condominiais para a instalação do ar condicionado sempre devem ser verificadas previamente. Caso contrário, pode ser que se faça todo o projeto considerando certo tipo de aparelho ou um determinado local de instalação e depois não seja possível executar daquela forma porque não está de acordo com as regras.

Fora que pode ser necessária alguma permissão ou aviso para o momento da instalação. Então, a #dicapedrada aqui é conversar com o síndico antes, combinado? Fechando o parênteses e voltando ao ar condicionado.

Se a obra for num apartamento, a condensadora pode ser colocada na varanda e você pode ter a opção de utilizar a clausura. A clausura é uma caixa feita para isolar a condensadora do restante do ambiente interno e que tem uma abertura para o lado de fora. No caso de usar clausura, esteja atento às normas para instalação, porque costuma haver várias regras diferentes para a altura, para o tipo de material, etc. Essa clausura pode ser de vidro, mas também pode-se colocar um ripado de madeira ou outro tipo de material para ficar mais bonito. É importante definir tudo isso na fase de projeto.

No caso de ser uma reforma, todos esses detalhes devem ser observados na hora do levantamento. Verifique se existe previsão para o ar condicionado. Caso não exista, significa que vai haver “quebra-quebra” e se você deixar na mão do pessoal da instalação, eles vão colocar a evaporadora e a condensadora uma atrás da outra (para facilitar a vida deles), mas não precisa ser necessariamente assim. Veja também se será possível embutir a tubulação ou se será melhor utilizar uma carenagem para esconder.

Agora, muita atenção, aqui!!! Se for um imóvel feito com parede estrutural e não tiver sido projetado já com o furo para instalação do ar, não é possível fazer instalação de ar condicionado split ou de janela porque nesse tipo de imóvel não se pode furar a parede!!! Aqui a opção é usar o modelo portátil mesmo com aquelas réguas na janela.

Coloque o ar condicionado no projeto e mostre no Render para que o cliente possa ver onde o ar será instalado porque pode ser que ele não queira o ar onde foi definido em projeto. Já pensou se você só descobrir isso na hora da obra? Olha a dor de cabeça! Indique a localização dos aparelhos de ar condicionado desde o estudo preliminar e mostre para o cliente.

O modelo de ar condicionado mais comum no mercado é o hi-wall, mas existe também o multisplit. O multisplit é praticamente igual ao hi-wall, mas ele pode ter uma só condensadora para mais de uma evaporadora. Esse modelo facilita e muito quando há pouco espaço para colocar a condensadora! Dessa forma, é possível ter uma evaporadora em cada ambiente e controlar a temperatura separadamente. Porém, a desvantagem – que você precisa comunicar para o seu cliente – sobre esse modelo é: se a condensadora der qualquer defeito, seu cliente vai ficar sem ar condicionado em todos os ambientes ligados a ela ao mesmo tempo até consertar! 

Seja sincero com o cliente e use este modelo apenas em casos que realmente haja pouco espaço ou pelo menos distribua os ambientes em duas condensadoras para que, caso um problema ocorra, o cliente não fique sem ar condicionado na casa toda de uma vez.

Existem também os modelos chamados piso/teto. Os ar condicionados  piso teto conseguem resfriar ambientes maiores. Em geral, são usados em espaços comerciais ou institucionais, como lojas, escritórios, bibliotecas e salas de aula.

E para projetos mais sofisticados, você também pode optar pelo modelo de ar condicionado cassete. Vemos muito esse modelo em imóveis de alto padrão, apartamentos, coberturas, porque ele fica muito discreto no teto. Para usá-lo, lembre-se que é necessário rebaixar pelo menos 40cm do forro para passar a tubulação e estrutura interna do aparelho. Por isso, muito cuidado com a altura do pé direito! 

Se é um desejo do seu cliente instalar o ar condicionado cassete, compatibilize essa altura desde o projeto com a obra, a relação com as esquadrias, iluminação – verifique também se passa alguma tubulação de esgoto ali em cima, enfim, garanta que seja bem planejado para não inviabilizar a instalação nem frustrar seu cliente!

Outra opção é usar o ar condicionado central. Ele também fica bem discreto nos ambientes, o acabamento fica bem bonito. O ar condicionado central é muito usado em auditórios, hotéis, escritórios e aeroportos. E fica lindo em residências também, mas o custo é bem mais alto, então estude o melhor custo-benefício para os seus clientes.

Esses são os modelos mais utilizados de ar condicionado, mas tem também um, que você pode indicar para o seu cliente se ele estiver morando em casa ou apartamento alugado, ou se o imóvel tiver paredes estruturais que não permitam a instalação de um split ou janela, por exemplo, ou até quando o cliente não quiser fazer reforma. É o ar condicionado portátil. 

O ar condicionado portátil é um aparelho único, com condensadora e evaporadora juntas também, por isso, ele faz um pouco mais de barulho no ambiente que os outros modelos. Não é tão compacto, então precisa avaliar bem onde será colocado, caso o ambiente seja muito pequeno. Uma alternativa é deixá-lo guardado quando não estiver em uso. Em geral, esse aparelho possui um compartimento que armazena água dentro dele e um tubo para levar o ar quente para fora do ambiente.

Esse tubo pode ser instalado na fachada, mas na maioria das vezes, é colocada uma régua na janela para fazer essa vedação. Essa régua vem junto com o aparelho e normalmente possui comprimento de até 1 metro e meio. Mas, caso precise que seja maior, como para uma porta, por exemplo, é possível comprar um complemento no site do fabricante. Lembre-se de sempre verificar a tensão (se é 110V ou 220V) e de deixar uma tomada de 20A para este equipamento.

Como dimensionar o ar condicionado

Agora chegou o momento de falarmos sobre como dimensionar o ar condicionado! Você já sabe fazer isso? Nós falamos do dimensionamento das tubulações lá atrás, e para saber qual tubulação colocar, é preciso calcular corretamente a capacidade do aparelho necessária em cada espaço.

Para isso, você precisa saber: qual a área do ambiente, quantas pessoas vão usar, quantos equipamentos eletrônicos que emitem calor vão haver naquele espaço (tv, computador…) e se bate muito sol de maneira contínua no ambiente.

Se for um ambiente pouco exposto ao sol, considere 600BTUs para o cálculo. Se for muito exposto, como um ambiente no poente, considere 800 BTUs.

Então, considerando um ambiente pouco exposto, multiplique a área pela quantidade de BTUs.

Área (m2) x 600 (BTUs)

Agora, some mais 600 BTUs para cada pessoa que vai utilizar o espaço desconsiderando a primeira, e some mais 600 BTUs para cada equipamento que emite calor do ambiente.

Vamos fazer uma simulação para ficar mais fácil:

Exemplo, um quarto com 12m², para um casal, que tem uma TV e não está exposto ao sol. Nesse caso então, como não está exposto ao sol diretamente, vamos considerar 600BTUs como parâmetro.

12 x 600 = 7.200 BTUs

Mais 600 BTUs da segunda pessoa (lembrando que a primeira não conta):

7.200 + 600 = 7.800BTUs

Adicione agora a TV, mais 600 BTUs, fica:

7.800 + 600 = 8.400BTUs

São 8.400 BTUs necessários para esse ambiente!

Agora, arredondamos para a próxima capacidade de equipamentos disponíveis no mercado acima desse valor. Ou seja, neste exemplo, o aparelho indicado é de 9.000 BTUs! Se esse quarto fosse no poente, seria necessário um equipamento de 12.000 BTUs!

Pronto! Agora você não passa mais aperto para saber qual ar recomendar para o seu cliente.

E o ar condicionado quente-frio?

E agora uma #dicapedrada especial para lugares frios! No caso de locais onde chega a fazer bastante frio, uma questão costuma surgir na cabeça dos clientes: o que é melhor? Um ar condicionado quente-frio ou um só frio e um aquecedor? Lembrando que se for um aquecedor elétrico, é necessário deixar prevista uma tomada de uso específico para ele no projeto.

Bom, essa escolha depende de cada caso, mas vamos colocar aqui os pontos mais importantes a considerar na hora de ajudar o cliente a escolher.

O ar condicionado quente-frio consome menos energia que o aquecedor elétrico comparando pelo mesmo tempo de uso. Só que o preço de compra do aquecedor é bem mais em conta que o do ar condicionado quente-frio. Além disso, o aquecedor possui a vantagem de que pode ser movido e, consequentemente, pode ser usado em vários ambientes da casa, de acordo com o lugar em que a pessoa está.

Fora que o aparelho de ar condicionado quente-frio é mais difícil de instalar que o convencional e a manutenção também pode ser mais complicada. Então, se você for o responsável por contratar essa mão de obra, tenha cuidado, e se for o seu cliente, não deixe de avisar isso a ele também.

Resumindo, o ar condicionado quente-frio vai valer mais a pena em lugares onde faz bastante frio durante um período considerável do ano e quando o ambiente que precisa ser aquecido for grande (porque os aquecedores geralmente são pequenos e quanto maior o ambiente mais difícil ele conseguir aquecer). Contudo, se o cliente quiser ter tudo num aparelho só, então devemos projetar a instalação para o ar condicionado quente-frio e garantir que seja instalado corretamente.

Novamente, cuidado com a mão de obra! Quanto maior a tecnologia do equipamento que será instalado, mais qualificada deve ser a mão de obra. Caso contrário, coisas deste tipo podem acontecer:

E não deixe de avisar ao seu cliente sobre a necessidade de manutenção periódica. Já pensou o duto entupir e começar a pingar na cabeça do cliente ou num daqueles móveis caros que ele comprou? Ou o ar condicionado de repente parar de gelar porque perdeu o gás? Bem desagradável, né? Portanto, deixe o cliente avisado.

Por fim, sempre leia o manual do equipamento escolhido para ter certeza de que todas as normas estão sendo respeitadas nos seus projetos e obras. E mesmo que o seu cliente, por acaso, diga que não acha necessário ter o ar condicionado, já deixe tomadas e infraestrutura prevista para receber o aparelho para que ele não enfrente quebradeira e dor de cabeça depois, caso mude de ideia.

Todos estes cuidados devem ser observados tanto no projeto quanto durante a obra, seja uma construção do zero ou reforma. Assim, dores de cabeça, retrabalhos e desperdícios de tempo e dinheiro são evitados e a satisfação do cliente será garantida.

Oi,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *